Como investir com pouco dinheiro?

Como investir com pouco dinheiro?

 

Tem algumas poupanças de parte e está a pensar em investir, mas não sabe como? Antes de apostar em qualquer ideia de negócio, importará analisar cuidadosamente as suas finanças pessoais para não correr o risco de se endividar. Este artigo irá ajudá-lo a alocar o seu dinheiro da melhor forma.

Em Portugal existem diferentes formas de investir e, em algumas situações, não precisa de muito dinheiro. Os objetivos dos investidores poderão ser os mais variados, mas todos eles têm um fator em comum: conseguir tirar o maior partido do capital investido.

Para o ajudar a tomar uma decisão, terá de definir qual o montante total disponível, qual o risco que estará disposto a correr e quanto tempo terá de esperar para obter o retorno previsto.

Investir em startups

Apostar em startups tem tido cada vez mais adeptos. Existem negócios recentes, das mais diversas áreas, que terão todo o potencial para crescer. Se tem algum dinheiro de parte, esta poderá ser uma forma de, a longo prazo, poder ver o seu investimento largamente recompensado. Este processo é, hoje em dia, muito facilitado por uma panóplia de plataformas online de investimento de startups, através das quais poderá alocar as suas poupanças.

Existem pelo menos três formas de investir numa startup: por um lado, poderá pensar em criar a sua própria empresa, um processo que exige alguma disponibilidade e paciência; o empreendedorismo não se limita à criação de novos negócios. Porque não investir num projeto que já exista e com o qual se identifica? Poderá apostar em crowdfunding, em que vários investidores se juntam para financiar projetos; finalmente, existem também alguns fundos de investimento que apostam em empresas recém-criadas.

Antes de avançar, analise bem os diferentes projetos que existem e a sua capacidade de expansão. Afinal de contas, o seu objetivo parte de iniciar um investimento com o seu pé-de-meia que lhe traga retorno. Pode também, como alternativa, tentar conseguir financiamento para este investimento. Pode pedir um crédito empresarial, se tal fizer sentido, ou, caso seja mesmo um empresário em nome individual, poderá utilizar um simulador de crédito pessoal e tentar encontrar a melhor solução disponível. Terá sempre é que fazer uma análise comparativa: a taxa de juro que vai pagar pelo crédito compensa face ao retorno esperado no investimento?

Investir em imóveis para arrendar

Numa altura em que o mercado imobiliário anda muito dinâmico (ainda para mais tendo Viana do Castelo sido eleita recentemente como melhor distrito para se viver) poderá ser uma boa solução para alocar as suas poupanças. Se se juntar a um grupo de amigos para investir num imóvel, não precisará, à priori, de fazer um grande investimento e poderá trazer-lhe rentabilidade com alguma facilidade.

Neste caso, a localização deverá ser um dos principais fatores de decisão na escolha de uma casa. Por exemplo, se decidirem investir numa habitação junto a uma zona universitária, certamente que terá muita procura por parte dos estudantes.

Por outro lado, poderão também ponderar por investir numa habitação localizada numa zona turística. Assim, mesmo que surja um período em que o setor imobiliário não esteja numa fase em expansão, certamente que terá sempre alguma procura.

No entanto, se não quiser avançar para a compra de um imóvel de origem, poderá sempre optar pela solução de subarrendamento, no qual fará a intermediação entre o arrendatário e o proprietário original.

E se pensar “fora da caixa”? Investir num food truck

Com o boom turístico no qual Portugal se encontra, aliado a uma vida mais corrida por parte dos habitantes abrem-se a porta a novas oportunidades de negócios. As carrinhas de comida – mais conhecidas como food trucks – são um exemplo de uma tendência que veio para ficar.

Embora a venda de comida ambulante não seja propriamente uma novidade, ultimamente têm surgido numa vertente de alta qualidade. Estas food trucks têm aparecido associadas, por exemplo, a feiras e mercados regionais, onde os comerciantes aproveitam para dar a conhecer os produtos de uma determinada região.

Este tipo de venda “em movimento” acaba por ser mais acessível do que se tivesse de manter um estabelecimento comercial. Quer opte pela venda de produtos regionais, gourmet ou mesmo bifanas e cachorros, esta poderá ser uma solução atrativa para investir as suas poupanças. Com a venda ambulante poderá acompanhar os eventos da sua região mais dinâmicos.

Independente do destino que dará às suas poupanças, antes de o fazer deverá fazer uma análise criteriosa às suas finanças pessoais, para evitar futuros endividamentos. Se as suas economias estiverem estáveis, então passe ao próximo passo e analise, de acordo com as suas preferências, as diferentes ofertas que existem.

 

 

Seja Associado!